Segunda-feira, 31 de Agosto de 2009

querida fada madrinha

Se existes, podes transformar a minha Louis Vuitton numa mala maior? Mas mantendo esta. No fundo, uma nova. Obrigada. Dava-me mesmo jeito.

de J às 15:31
| Diz-me | O que disseste (1)
Domingo, 23 de Agosto de 2009

out

 

Vou só para aqui um bocadinho.

 

Querida gatinha, tu que adoras água, era levar-te numa bóia para a piscina dos pequeninos. Aposto que lá querias andar a tarde toda. Mas os hotéis não permitem animais. Podem continuar a não permitir, mas tu não és um animal, és a super zézinha gorda.

de J às 09:46
| Diz-me

remoinhos

Entraste na minha vida de novo, por breves momentos. Não que tu queiras, não que eu - muito menos - o queira.

Vaca.

Tu e a tua sabichonice do universo feito do teu umbigo. Do teu grande umbigo. Ó ser abjecto. Sai-me do pensamento porque fico a remoer as palavras que nunca te direi.

Vaca.

de J às 09:39
| Diz-me
Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009

tu?

Parece-me essencialmente ridículo que, se evitares responder-me, falar-me, ver-me, pisar o mesmo chão que eu piso, respirar o mesmo ar que eu respiro, penses realmente que eu desapareci.

Que infantilidade.

de J às 16:18
| Diz-me

performences da gatinha

de J às 15:35
| Diz-me

lista de aniversário #4

CK Flash

 

CK Suspension

 

 

Um ou outro. No fundo, não sou nada esquesita.

de J às 11:57
| Diz-me | O que disseste (2)
Segunda-feira, 17 de Agosto de 2009

Up...

 

Até sermos velhinhos.

de J às 22:32
| Diz-me | O que disseste (1)

a house is not a home without a cat

 

Querida gatinha.

Meteste férias do teu trabalho como informadora da CIA. Sei que estás muito bem. Vais fazer amigos com casaquinho de inverno e vais ficar a saber que existem mais gatinhos no mundo sem seres tu. E que se pode viver sem ser num 11º andar. E que há mais pessoas no mundo.

Sua fofa.

Sua gorda.

Sua zézinha.

Sua josefina.

Sua estrunfina.

Sua hiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.

Pronto... vai lá descansar das montanhas de beijos que levavas durante o dia.

 

*saudadinhas.

 

 

de J às 11:00
| Diz-me | O que disseste (2)
Sábado, 15 de Agosto de 2009

eternamente em banho maria

Não sei por onde começar. Não posso dizer o que quero, nem a quem quero, nem quando quero. É...ele há dias assim, em que a vida de repente não é feita de quereres, mas de sentido de oportunidade, sensibilidade e pronto, bom senso. Coiso.

Um quadradinho, trala lá...

Mas quando a água ferve, há imensas possibilidades para o tacho. Ferve até evaporar, até não haver mais nada. Pena é que termine com tudo queimado. Ferve e desliga-se o lume. E quê, o que é que se faz à água quente? Espera-se que arrefeça? Não tenho paciência. Aparentemente já tive, mas agora não estou com a mínima paciência para ter paciência. Olha, paciência! Deita-se a água quente fora?

Dois quadradinhos, trala lá...

Embacia-me os óculos e de certezinha que esta água em especial me iria salpicar e queimar um bocadinho o pulso.

Três quadradinhos, trala lá...

Tu não deixas. Desaparece.

Quatro quadradinhos, trala lá... E podia estar a cantar isto bem mais tempo, por aqui fora.

de J às 11:27
| Diz-me
Sexta-feira, 14 de Agosto de 2009

ah pois é. Não penso só em mim...

Dior

Baby Shoes Ballerina

de J às 01:08
| Diz-me | O que disseste (4)
Quinta-feira, 13 de Agosto de 2009

ego

de J às 00:55
| Diz-me
Terça-feira, 11 de Agosto de 2009

lista de aniversário #3

Então não haveria de constar a torradeira da Hello Kitty?

de J às 12:54
| Diz-me

lista de aniversário #2

   

 

Uma assinatura anual da Vogue.

 

 

 

 

de J às 12:18
| Diz-me

sim ou não?

Dior

Oui Ring, white gold with diamond

 

Ora cá está uma maneira de minimizar o risco de ouvir um 'não'. Uma ajudinha, para aquelas que ficam sem palavras.

de J às 02:30
| Diz-me

lista de aniversário #1

 

Botinhas para o inverno :)

 

Christian Louboutin pink calf hair 'Mouflette' ankle boots

 

de J às 02:07
| Diz-me

a magia existe

 

E tu, feiticeiro, fizeste-me embriagar de ti.

de J às 02:00
| Diz-me
Segunda-feira, 10 de Agosto de 2009

até

de J às 14:23
| Diz-me
Sexta-feira, 7 de Agosto de 2009

...

Sonhei, mais uma vez. Sonho muitas vezes. E é curioso, mas se há vezes em que acordo em pleno sonho, como que a finalizá-lo, outras vezes são as que só me lembro do que sonhei horas depois. Salta-me à cabeça uma faúlha, suficiente para incendiar o resto que estava sossegadinho. Agora já só há pedaços. De vários, mas há só um que me incomoda. Os outros guardo-os eu, não preciso disto para nada. Foi como remexer no pó. Que só soube que existia porque tossi. Não. Vi-te chorar e pela primeira vez compreendi. Disseste-me que compreendias, que aceitavas. E eu compreendi-te. Vi-te. Ouvi-te. Agora podemos fazer coisas. Primeiro podemos olhar-nos. E só isso ia demorar uma eternidade. Seria inevitável medirmo-nos em todos os cantos. Em todas as coisas. Não para ganhar. Só porque sim, porque é essa a nossa natureza. Depois, falar, quem sabe, numa outra vida. Pareceste-me uma pessoa normal. Nem bonita, nem feia. O sofá fazia cantos, um meu e outro teu. E eu também não me senti nem bonita nem feia. Obrigada. Mas agora desaparece e deixa-me. Obrigada, de novo. Farei o mesmo, do outro lado da colina. Não será a última vez que me apareces nos sonhos. E sei que, não sabendo, te vou parar aos teus. Acho que gostava de te dar um abraço, só para ver como é. Mas isso tu não. Tens-me inscrita numa folha enorme que dobraste até à exaustão. E sopraste ao vento. Como eu te fiz a ti. Mas olha, hoje apareceste-me de novo. Sendo assim... até à próxima.

E não, não és quem pareces ser, à primeira vista. Acho que só eu sei quem és.

 

 

de J às 19:36
| Diz-me
Quinta-feira, 6 de Agosto de 2009

estupor.

 

Na década da cor vermelha, da única cor possível para os lábios e para as unhas. Dos chapéus e sobretudos em ombros frios, em costas nuas. De meias que se desenrolam e seda e cetim e cadência de contrabaixo, quente e profunda. Da beleza do cabelo curto e da barba por fazer. De me queimares com os olhos ao desapareceres na esquina. Do saber dançar. De bailes com ambiente de charuto e brilho de diamantes. E tu e eu. Sempre tu. Sempre eu. E isto com o mesmo calafrio, o mesmo escaldar, a mesma vertigem de quando me tornei a tua princesa.

 

 

 

de J às 01:04
| Diz-me
Terça-feira, 4 de Agosto de 2009

hoje fui tirar o cartão do cidadão

O meu BI caducou, de maneiras que foi isto. Coisas que acontecem.

Mas aquilo que realmente interessa é referir que meço 1,58 m oficialmente.

 

:)

 

 

 

 

de J às 21:34
| Diz-me | O que disseste (1)

|mim

|procuras...?

 

|Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

|o que me anda na cabeça

| mudança

| faz-me espécie...

| mais docinha

| Não é mau humor. É sem má...

| fadinho

| closet

| Não é. Foi.

| querido Pierce,

| irremediavelmente cativad...

| abananço

|últimos pensamentos

| Fevereiro 2010

| Janeiro 2010

| Dezembro 2009

| Novembro 2009

| Outubro 2009

| Setembro 2009

| Agosto 2009

| Julho 2009

| Junho 2009

| Maio 2009

| Abril 2009

| Março 2009

| Fevereiro 2009

| Janeiro 2009

| Dezembro 2008

| Novembro 2008

| Outubro 2008

| Setembro 2008

| Julho 2008

| Maio 2008

| Abril 2008

| Março 2008

| Fevereiro 2008

| Janeiro 2008

| Dezembro 2007

| Novembro 2007

| Outubro 2007

| Setembro 2007

| Agosto 2007

| Julho 2007

| Junho 2007

| Maio 2007

| Abril 2007

| Março 2007

blogs SAPO

|subscrever feeds